BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

sábado, 31 de março de 2012

BENESSES GRATUITAS AO JUDICIÁRIO?

        Leio no blogue do Dr. Medeiros que nesta segunda-feira, dois de abril, o BB e a CEF colaboram pecuniariamente para a festividade da Associação dos Magistrados na capital paulista.
        O Dr. Medeiros compara a doação do BB, no valor de R$150.000,00, com aquela doação feita pelo então diretor de Marketing do BB, Henrique Pizzolatto, a um show para realização de uma festa do PT naquela ocasião.
        É imperativo já que o Ministério Público tome as devidas providências para investigar os motivos e a legalidade de doação feitas por dois bancos federais. Com toda certeza não foi pedida pelos membros do judiciário, daí a necessidade de investigação.
        O dado concreto é que ultimamente o judiciário está claramente pendendo para o lado do governo. Na guinada da cesta alimentação no final de 2011 (STJ), na recente ADI (STF), no Renda Certa e por aí vai.
        Por falar na decisão da ADI 4644, o Dr. Medeiros faz excelente abordagem, elogiando muito - para alegria de quem muito o admira - o nosso colega octagenário Edgardo Amorim Rego que fez notável explanação acerca do desfecho da lide.
        Esperamos confiantes que o Ministério Público venha a tomar as medidas cabíveis preventivamente, não deixando para quando o presidente Aldemir Bendine já estiver no ostracismo.

ODEIO APOSENTADOS

        É comum alguns anônimos usarem logins como o título desta postagem. Recebi-o no post anterior e não publiquei, nos chamando de "marajás", "chorões" e que a nossa Caixa iria acabar na privatização.
        Com toda a certeza, uma pessoa que assim pensa se funde com o pensamento do nosso patrocinador. O BB já nos considera uma subsidiária, não um fundo de pensão. Aconselho o ilustre "Odeio Aposentados" a ler (e entender) as leis e os estatutos que regem os fundos de pensão. Como o nosso fundo é parâmetro no Brasil, comece lendo a história da Previ, muito fácil de encontrar. Aprenda que o patrocinador não é beneficiário de plano. Saiba que o valor "aplicado" pelo patrocinador é valor diferido, é uma contribuição social que o empregador faz para, depois de aposentado, o trabalhador receber deste fundo de pensão, não mais do empregador.
        É muito triste encontrar pessoas em nosso país cujo estudo não atingiu à maturidade. Citando alguns nomes como Lula, José Pimentel, Sérgio Rosa, Guido Mantega, e todos os políticos que têm esta visão míope sobre a interpretação das leis. É revoltante, por exemplo, quando criaram a Resolução 26, o então ministro José Barroso Pimentel afirmar: "O BB tem direito à metade do superávit." Mais ardil ainda é que PT e PMDB estão em conluio com esta safadeza, agregando à política nacional dominante uma classe sobejamente aproveitadora: o sindicalismo. Daí resulta a maior sórdida invasão aos direitos sagrados dos aposentados dos fundos de pensão. Criam órgãos para nos prejudicar, exemplo prático a PREVIC, um cabide de empregos para servir aos interesses do governo, paga com a contribução dos fundos de pensão, a Previ com maior contribuição.
        Conforta-me e incentiva-me as ofensas do Anônimo "Odeio Aposentado". Sim, porque, se há revide é prova eloquente que nossas palavras estão atingindo seu alvo.

sexta-feira, 30 de março de 2012

MISSIVA DO COLEGA EDISON À PREVI

CAIXA DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL
PREZADO COLEGA PRESIDENTE,
Ao tomar conhecimento de que sua Diretoria pretende, durante o mês de abril, reestabelecer  aquela desacreditada e ridícula "CARAVANA DA ALEGRIA", sob o falso propósito de apresentar  e discutir  números do Balanço da PREVI, com  associados, aposentados e pensionistas, nas principais capitais do País, não consegui me conter.

Como associado, contribuinte há mais de 40 anos, cansei de ver "rasgarem dinheiro". Informem, por favor,  quanto custa uma brincadeira dessas:  diárias, viagem, hotel, comida e bebida, tudo da melhor qualidade, para cada um dos membros destas "caravanas"? E para quê?
Qual o propósito verdadeiro destas apresentações? A quem convém reeditá-las ano a ano, se a esmagadora maioria do público alvo é contra? Se em todas as vezes tiveram de catar público quase a força para assistir? Com todas as alternativas e novas tecnologias, não seria extremamente mais econômico para a PREVI que fossem abolidas estas reuniões presenciais? Como já assisti algumas, confirmei a expectativa de que o teatro armado, para nós de nada servia, aos "caravaneiros", sim, além de fazer turismo à custa de nossas economias, mantém suas imagens em destaque, como administradores de números grandiosos, responsáveis diretos pelo sucesso da entidade. Os menos avisados “engolem” e decoram seus nomes para perpetuá-los no poder.
Nos eventos, caprichosamente montados, a afirmativa de farsa se descortina, indesmentivelmente, quando se sabe que as perguntas enviadas pelos interessados passam pelo crivo de um selecionador, cuja missão é evitar a colocação dos "atores", ocupantes do "palco", em saia justa, guardando para depois"inquirições" julgadas capazes de comprometer o "bom andamento" do "espetáculo".
Os debates mais acirrados, as colocações mais profundas, sobre assuntos que necessitamos saber, são relegados a segundo plano. Assim, o resultado do "espetáculo" ao vivo perde, para nós assistentes, o principal de seu ingrediente,
a surpresa.
Ademais, como soe acontecer, as "caravanas" engajam entre seus componentes futuros candidatos a alguma coisa, sejam na ANABB, CASSI, PREVI OU COOPERFORTE.

Senão vejamos, colega Presidente, o Sasseron ano passado  trouxe a Porto Alegre, às expensas da PREVI, Miriam Focchi, que não tinha nada a fazer aqui na ocasião mas, agora, alguns meses após já se apresenta como candidata. O fato, inclusive, foi salientado, na oportunidade,  pelo colega Dr. Medeiros em plena reunião, conseguindo ainda que a fórceps, o reconhecimento da irregularidade, pelo próprio Sasseron.
Não seria isto propaganda eleitoral antecipada de forma irregular? Igualmente comprometedoras e altamente suspeitas são as datas dos  novos "espetáculos" deste ano, coincidindo, perigosamente, com o andamento da eleição para a CASSI e plena campanha e preparação para o pleito da PREVI.

Estes fatos, aliados a constatação de que a PREVI jamais manteve neutralidade em eleições, desde já, denuncio suspeição à conduta de seus comandados e, como associado, cumpridor de minhas obrigações e guardião das minhas economias e direitos, sentindo-me prejudicado,  exijo cancelamento das apresentações “circenses” pelas capitais do País, em nome da decência, do respeito e da honestidade que deve ser dispensada a  tão importante pleito.

SAUDAÇÕES,

EDISON DE BEM E SILVA
MAT. 2.644.740-1
PELOTAS (RS)


* ESTA MISSIVA SERÁ ENCAMINHADA VIA CORREIO À PREVI.
Nota do Blog:
        Mensagem recebida por e-mail. Reproduzida aqui fielmente porque compartilho da mesma opinião, combatendo as tentativas com a mesma irritação e veemência.

quinta-feira, 29 de março de 2012

O INTERESSE VAI CRESCER

        Avizinham-se as eleições. Apesar do meu ceticismo em profundas mudanças devido ao poder relativo e limitado que o vencedor disporá, sinto um aumento significativo no interesse dos votantes aposentados, nosso contingente que a cada eleição realizada, mais se alienava do processo.
        Li com real interesse a postagem do amigo Marcos Cordeiro de Andrade, presidente da Aapprevi, sob o título "A Cassi que eu quero". Nela é relatada sua condição de filiado há meio século, 46 dos quais em sua via-crucis para cuidar de um filho que nasceu com síndrome de Down. Quem o conhece como eu, na sua simplicidade e fé, se sensibiliza - não tanto por seu valioso vernáculo (sabe escrever como poucos no Brasil) mas sobretudo pela pessoa humana que é. Malgrado os opositores, que lhe atiram pedras sem o conhecer de verdade.
Mas, em "A CASSI que eu quero", Marcos expõe claramente a consciência de que os membros da chapa nº4, Semente da União, podem e farão algo de melhor pela nossa Cassi. Esta é, a meu ver, uma notável contribuição da boa propaganda que já nas primeiras vinte manifestações hipotecaram valorosa solidariedade, e, ainda, fidelidade à Chapa da Semente.
        Tudo conspira para um fortalecimento e inédita participação dos aposentados nestas eleições. Oxalá se confirme o uso ininterrupto do e-mail para repassar mensagens aos grupos de amigos. Vamos sonhar alto e deixar o pessimismo de lado.

terça-feira, 27 de março de 2012

UMA DERROTA INESPERADA?

        Sexta-feira 23 de março, não foi numa sexta-feira 13, o Ministro do STF Celso de Mello acabou com nosso sonho de reavermos integralmente os futuros superávites. ADI são impetradas para julgar inconstitucionalidades, donde deduzimos que pela decisão do relator, não há inconstitucionalidade na Resolução CGPC 26.
        Não sabiam disto doutos causídicos que estudam leis anos a fio? Ou podemos duvidar das verdadeiras intenções da Anapar e da Contraf-Cut que à época, decidiram interceder pelos associados, simplesmente com displicência jurídica, com o fim escuso de não atingir o objetivo almejado?
        O confiável e sábio colega Edgardo Amorim Rego nos diz que "inexiste inconstitucionalidade, o que existe é ILEGALIDADE. A resolução nº 26 é uma norma ANCILAR, isto é, servil, auxiliar. (A palavra vem do latim "ancilla" que significa escrava, serva e no sentido figurado quer dizer "uma coisa que auxilia a outra.)
Reprodução das palavras do Edegardo que retirei do blog do Juarez: 
  "Na minha ignorância da Ciência do Direito, não me surpreendo com o Despacho do Ministro Celso de Mello, não reconhecendo a ADI impetrada contra a "Reversão de Valores". A Resolução CGPC 26 é CLARAMEENTE documento ANCILAR,isto é, redigido para COMPLEMENTAR a LC 109 e 108. Os Mestres do Direito Constitucional ensinam que, no caso de uma norma ancilar, INEXISTE INCONSTITUCIONALIDADE, existe ILEGALIDADE. A perversão da norma ancilar não é discutida no STF, que discute inconstitucionalidade. Ela é discutida nos tribunais inferiores. Os colegas meus amigos, quando a Contraf-Cut e FAABB entraram com essa ADI, receberam uma análise,que fiz, exatamente onde afirmava que tinha dúvidas sobre o acolhimento dessa ADI."
        Aguardemos pacientemente. De antemão é melhor nos precavermos, conhecendo bem as pessoas que estão do nosso lado, aquelas que podemos acreditar, em oposição aos lobos devoradores.

segunda-feira, 26 de março de 2012

CARROS MOVIDOS A AR

        Somos diariamente alvejados por e-mails vindos de todos os lados e com todas as matizes. O mais recente faz uma interessante pergunta: por que não vemos em nossas ruas o já testado e aprovado, poluição zero, custo baixíssimo, ecológico, entre todos já produzidos? A resposta é óbvia e ululante. Interesses comerciais de conglomerados e no caso do governo brasileiro a Petrobras, cuja produção do pré-sal ficaria encalhada, fazem o carro movido a ar comprimido ficar longe do Brasil.
        Pode-se formar um paralelo do carro a ar com outros interesses "nacionais": entidades e setores da economia dominados por pessoas ou grupos afinados com a política do poder de plantão. Isso interessa, aquilo não, agiremos assim...pt saudações.
        Assim como a Petrobras não quer que se mexa no petróleo com o intuito de preservar preço e mercado, assim também, o Ministério da Fazenda não quer que o BB deixe de dominar a Previ, custe o que custar. Nem que seja necessário subornar outros poderes para que o objetivo seja alcançado.
        De nada valerá ganharmos um diretor eleito por nós, nem tampouco um conselheiro deliberativo. Eles lá entrarão de mãos atadas, dançando conforme a música. Triste fim de Policarpo Quaresma.

sexta-feira, 23 de março de 2012

NÃO PODEMOS PREVARICAR

        Em quaisquer das duas eleições que se avizinham, todo o cuidado para não eleger qualquer sindicalista. Eles já estão em posição de poder, constituídos pelo PT na figura do líder maior, onde fincaram os tentáculos nas melhores posições do capitalismo brasileiro, inclusive a fantástica arrecadação do imposto sindical que neste mês de março retirou compulsoriamente de cada trabalhador brasileiro um precioso dia de seu suado trabalho.
        Não vamos nos iludir com falsas promessas, principalmente na eleição para a Previ. Ali já estão eles, os sindicalistas, desde o primeiro governo Lula, embora  nós aposentados não os enxergamos, tamanha nossa falta de interesse nos destinos da nossa Caixa.
        É hora da nossa união, do corpo-a-corpo virtual, dos e-mails de apoio e até das redes sociais. Antevê-se uma acirrada disputa. Diferente dos pleitos anteriores, a margem da vitória deverá ser bem apertada.

quinta-feira, 22 de março de 2012

A GRAMÁTICA E A LÓGICA

        Na prática do ensino da língua portuguesa, deparei-me nesta semana com um assunto já abordado aqui no blog, à época criticando o vocábulo predileto da presidenta Dilma. O texto pertence a Hélio Fontes, de Santa Catarina e seu título é "A Vernácula", reproduzido na postagem de janeiro/12 sob o cabeçalho "Senhora Presidenta". Só que os gramáticos confirmam o desejo da nossa presidente. No capítulo "Gênero dos substantivos" há a definição de masculino e feminino, sendo que podem flexionar-se, na passagem para o feminino, de várias formas, adquirindo diversas terminações, como exemplos:
-alfaiate - alfaiata ( alguém já viu? )
-parente - parenta
-mestre - mestra ( aqui tudo bem )
-hóspede - hóspeda ( ai! essa doeu! )
-elefante - elefanta
-monge - monja
-ministro - ministra ( de acordo )
-presidente - presidenta
-gigante - giganta
        Pela lógica alguns destes vocábulos deveriam pertencer à família "Comum-de-dois gêneros" em que o artigo ou o adjetivo determina o gênero:
o colega - a colega
bom colega - boa colega
um pianista - uma pianista
estudante aplicado - estudante aplicada
        Quase sempre no duelo gramática x lógica vence a primeira. Em vista disso, sorria Senhora Presidenta. A não ser que o ex-presidente José Sarney, presidente do Senado Federal, eleito pelo Amapá, embora seu domicílio eleitoral seja o Estado do Maranhão, resolva interferir. Aliás, ele já manda em meio mundo lá em Brasília e pertence à Academia Brasileira de Letras. No Brasil tudo se resume na política mesmo...bem que ele poderia dar uma mãozinha para a lógica...Será?

domingo, 18 de março de 2012

UM TEMA MUITO CONTROVERSO

        Há que se ter muito cuidado ao tratar deste assunto que desde os primórdios afeta nós humanos, tendo sido tratado, inclusive, nos livros sacros de várias religiões: o homossexualismo.
        Na Bíblia sagrada dos cristãos a abordagem se dá tanto no antigo quanto no novo Testamento.

Levítico 18.22 diz: "Com homem não se deitarás como se fosse mulher, é abominação."
Levítico 20.13 diz: "Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticam coisa abominável; serão mortos, o seu sangue cairá sobre eles."
Romanos 1.26-27 diz: "Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; Semelhantemente os homens também deixando o contato natural da mulher se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens e recebendo em si mesmos a merecida punição de seu erro."
Em 1 Coríntios 6.9-10 diz:  "Vocês sabem que os maus não terão parte no Reino de Deus. Não se enganem, pois os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais, os ladrões, os avarentos, os bêbados, os caluniadores e os assaltantes não terão parte no Reino de Deus."
        No Brasil, o polêmico assunto gerou conflito no Ministério da Educação com a intenção de distribuir o chamado "kit gay" nas escolas públicas que, afinal, não foi autorizado pela nossa presidente. No atual BBB12 o tópico volta à baila, igualmente em novelas...enfim, nota-se grande parte do país e do mundo apoiando a chamada diversidade, ficando para os que são contrários o estigma do preconceito.
        Sobretudo, é preciso ter sempre na mente a máxima do divino Mestre: "odiar o pecado, amar o pecador." Se a origem é remotíssima deveria ter tratado como Jesus tratou a prostituta Madalena que, ao ser acusada de adultério foi levada à sua presença, para que fosse condenada. Mas, Jesus, olhando para os judeus, proclamou aquela célebre frase: "Quem de vós estiver sem pecado que atire a primeira pedra!"

sexta-feira, 16 de março de 2012

LEI DO PISO DO MAGISTÉRIO

        A lei nº 11.738 de 16.07.2008, também conhecida como lei do piso dos professores, já teve até pedido de inconstitucionalidade de parte de cinco governadores, embora tivesse sido rechaçado veementemente pelo Supremo Tribunal Federal.
        Em Santa Catarina, estado natal e hospedeiro deste humilde professor que vos escreve, o governador conseguiu pagar o piso integralmente, mas somente para aqueles que iniciam na carreira. Em números representa um ganho atual, por 40h semanais, de R$1.450,87.
Falhou, malgrado os esforços, para com aqueles que possuem algum nível de graduação, pós-graduação ou mesmo mestrado. Estes, que são maioria no corpo docente, sofreram um achatamento motivador de prenúncios de greve para o ano em curso. No último ano estivemos 62 dias paralisados pelo mesmo motivo.
        Situação pior vive o vizinho Estado do Rio Grande do Sul. Lá o vencimento atual é em média R$800,00 para as mesmas 40h semanais. O governo ofereceu uma proposta e diz poder chegar somente a R$1.260,00, portanto, abaixo do piso vigente que desde janeiro/12 é de R$ 1.450,87. A educação deve ser prioritária, contudo, é impossível manter a qualidade no ensino com um salário que representa pouco mais de dois mínimos. E como agravante estamos falando de dois estados sulinos, onde a renda per capita é bem maior em relação a muitos estados do nordeste/norte do Brasil.
        Senhor governador Tarso Genro (PT), pague este piso sem pestanejar. Lei não se discute: se cumpre. Honre a tradição deste valoroso povo gaúcho e repasse aos mestres dos filhos desta terra, de Getúlio Vargas e Leonel Brizola, o que lhes é devido. Sem desculpas esfarrapadas, sem colocar a culpa no governo federal, ou em quem quer que seja. Quando a lei foi sancionada em 2008, Vossa Excelência era o ministro da Educação. RS não pode mais esperar, piso implantado já!

quinta-feira, 15 de março de 2012

SABEDORIA POPULAR

        Há grandes frases ditas por filósofos, empresários, cientistas, empreendedores, enfim, pensadores, que nos fazem arrepiar pelas notórias verdades contidas nestes pequenos frascos. Mas, atentem para a magnífica definição do Partidos dos Trabalhadores, publicada na "Coluna Bronca Geral" do excelente blog do amigo Cláudio Humberto, direto de Brasília...

Melhor definição do PT

Li na liberal internet e concordei, plenamente, que se trata da melhor definição desse exótico, insano e periculoso partido político: "O PT é um partido orientado por intelectuais que estudam e não trabalham, formado por militantes que trabalham e não estudam, comandado por sindicalistas que não estudam nem trabalham, que estão muito ricos com o apoio de eleitores idiotas que trabalham pra burro e não têm dinheiro nem pra comer nem pra estudar." 
(Ivo Salvany - Fortaleza - CE).

terça-feira, 13 de março de 2012

A PIPOCA VAI ESTALAR

        Informação é poder. Quem tem bons informantes ou bola de cristal está constantemente na crista da onda, como se diz por aí. Certamente não é o meu caso que não conheço ninguém influente nem nas altas nem nas baixas esferas do poder. Nem tampouco tenho qualquer condição econômica para competir com quem quer que seja. Minha única fonte é a moderna internet, bem assim como a de muitos que diariamente ali buscam novidades que, afinal, não duram um dia.
        Mas a coqueluche do momento no PB1 é o voto nas eleições da Cassi, em primeiro lugar, e da Previ, num segundo momento. Como pessoa física e votante, declino minha preferência pelas chapas da Semente de União, mesmo reconhecendo que há pelo menos um nome nelas, onde não há unanimidade. Seria preciso encontrar nomes de consenso; tudo quase bem  executado, para dizer bem não poderia haver erro. E em 90% se conseguiu o objetivo. Quem pode dizer que Divany Silveira, Edson de Bem não sejam espetaculares? Raul Avellar que concorre a suplente no CD da Cassi, também. Todavia, para a vaga titular há um nome muito controverso perante o eleitorado.
        Apesar disso, meu voto será para esta chapa. Fiquem tranquilos.

domingo, 11 de março de 2012

NETIQUETA

        O título é um neologismo formado de "etiqueta na net" ou a conduta que todos devemos ter quando navegamos na internet.
        Envolve respeito à privacidade dos outros e nada fazer online que possa interferir na susceptibilidade de outrem. Grupos de notícias, bate-papos e e-mails são ótimos meios de compartilhar informações, encontrar novas pessoas, ter diversão. Lembre-se que você é um cidadão de uma aldeia global. Dentro dela você precisa seguir alguns parâmetros ou normas de boa convivência:
01 - FAQs - Sigla em inglês para perguntas feitas com frequência - quem é novo na computação sempre deve lê-las e estudá-las.
02 - Mensagens testes - Não desperdice o tempo dos outros com mensagens como "Olá, apenas testando para ver se funciona."
03 - Mensagens indesejadas - Não envie a outros usuários e-mails ou mensagens inúteis ou desnecessárias. É muita falta de boa etiqueta.
04 - Focado no assunto - Se cada um num forum está discutindo música, por exemplo, não seja indelicado ao mudar o assunto.
05 - Seja tolerante - Não corrija a gramática ou a grafia dos outros. Ninguém é perfeito. Alguns digitam melhor que outros, mas é só questão de habilidade.
06 - Seja esperto - Não acredite em tudo o que você lê. Pode haver algum idiota que "criam" identidades para eles e dizem um porção de mentiras.
07 - Letras maiúsculas - Não utilize letras maiúsculas ou caixa-alta quando você escreve. As pessoas acharão que você está gritando se
VOCÊ ESCREVE DESSE JEITO.
        Para concluir e resumir: respeitemos a privacidade dos outros, sejamos tolerantes com os erros de gramática ou ortografia, não devemos "entupir" a caixa de e-mails dos outros com mensagens indesejáveis, e, mais importante, a internet favorece a troca de informações entre nós, mas não acredite em tudo o que você lê na internet.

sexta-feira, 9 de março de 2012

O AUMENTO EM JUNHO

        Faltam três meses de INPC calculados sob nova "metodologia" do IBGE inspirados nos doutos da Fazenda Nacional e seu Ministério. No mês de fevereiro/12, as equações algébricas de coleta da dados apontaram índice de 0,39%.
        Na série histórica desde junho/2011, temos:
        Junho/11..........0,22%
        Julho/11...........0,00% (deu zero mesmo?)
        Agosto/11.........0,42%
        Setembro/11.....0,45%
        Outubro/11.......0,32%
        Novembro/11....0,57%
        Dezembro/11.....0,51%
        Janeiro/2012......0,51% (empate!)
        Fevereiro/2012...0,39%
        Até aqui no acumulado em torno de 3,5% (3,39% linear), faltando três índices para completar o ano (junho-maio), prevê-se que dificilmente teremos aumento superior aos 4,7% no mês de junho sobre os proventos da Previ.
        A manipulação dos índices pelo governo é evidente. Mudam a metodologia de cálculo sempre para favorecê-los. Nunca para o trabalhador. Os sindicalistas silenciam. Estão do lado do governo e do pessoal da ativa. Nem a antecipação da data-base para janeiro, como fez o governo em relação ao salário mínimo, foram capazes de implementar.
        Enquanto isso, os "cabeças brancas" vão apanhando do PT e já não têm forças para reagir. O Financial Times disse ontem que o carnaval econômico brasileiro e outros emergentes acabou. Se teve isto por aqui, ficamos fora dos salões e não vimos a cor do dinheiro.

quarta-feira, 7 de março de 2012

SLOGANS QUE DIZEM NADA

        O Brasil é pródigo em usar slogans. Desde o tempo do regime militar temos o célebre "Este é um país que vai prá frente!" Agora, depois do "Fome Zero", a nossa estimada presidente, tentando extirpar a pobreza, já que o antecessor erradicou a fome, saiu-se com esta pérola de frase de efeito: "País rico é país sem miséria". Como diz conhecido narrador esportivo "que beleza!"
        As políticas governamentais é que fazem a diferença neste quesito do trabalhador. Melhorar a distribuição de renda é o desafio maior. Também adotar políticas justas ao modesto trabalhador. Não como age a Caixa Econômica Federal remunerando o dinheiro do trabalhador em 3% ao ano mais TR no FGTS, e simultaneamente emprestando este mesmo dinheiro ao mesmo laborador a juros de 9% ao ano no financiamento da casa própria, três vezes mais, e ficando com este negócio da China.
        Se age assim com os de renda baixa, os sofridos que estão nos chãos de fábrica, quanto mais não crescerá a cobiça nos 155 bi da Previ e outros fundos de pensão menos ativados!
        Um país rico é aquele que tem matéria-prima e um solo fértil para produzir. O resto é frase de efeito para tentar justificar que está-se fazendo alguma coisa, quase nada, ao sofrido povo brasileiro. 

terça-feira, 6 de março de 2012

ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE

        A economia é muito complexa e dentro dela a mais emblemática é uma direção aleatória do vetor mercado de capitais, focalizada nas principais bolsas mundiais.
        Neste seis de março, parecendo uma queda de pedras de dominó, todas as bolsas asiáticas, europeias e americanas caem vertiginosamente.
        Já se passaram mais de três anos desde a última crise mundial (2008) e o nosso Ibovespa ainda não conseguiu atingir o mesmo patamar em pontos daquele ano.
        Um mero boato, uma notícia plantada, pode do dia para a noite, mudar a concepção do investidor e convencê-lo de que nada está bom ou estava tudo errado. É inacreditável o humor deste mercado. Parece um mercado controlado. Agora é tempo de sol: a bolsa estará no campo positivo por ene dias. Daqui a dias o período será chuvoso, andará de ré por alguns dias.
        Os cabeças brancas da Previ têm que se preocupar com este mercado. Afinal, expressivo valor que vigia seus proventos estão atrelados no perigoso jogo do Mercado de Capitais.

segunda-feira, 5 de março de 2012

OS NÚMEROS DA PREVI

        Nestes dias a Previ divulgou em seu sítio os números fechados em 31.12.2011. São 68.545 aposentados no nosso Plano de Benefícios Um, e mais 19.285 pensionistas, o que representa um total de 87.830 pessoas que recebem da Previ, através do PB1, em percentuais que variam de 60% (pensionistas) até 100% dos salários da ativa, dependendo da forma de aposentadoria.
        O total da ativa, evidentemente pagos pelo Banco do Brasil, é de 31.499 que possivelmente levarão alguns anos para se aposentar, em virtude da isenção das contribuições desde 01.01.2007. Também porque mais da metade do contingente está na faixa etária dos 40-49 anos.
        Se a média de salários pagos pela Previ no PB1 é de 6 mil reais, deduz-se que a despesa anual é de aproximadamente seis bilhões de reais, mais da metade recebida de participações e dividendos em empresas como a Cia Vale do Rio Doce.
        Pela lenta migração do pessoal da ativa para a aposentadoria, é fácil prever que a Previ terá mais ou menos a mesma despesa fixa por alguns longos anos no pagamento de aposentadorias e pensões.

domingo, 4 de março de 2012

NO TERMO DA VIAGEM

        Neste período de quaresma, de jejum e abstinência, vamos lembrar das últimas horas do apóstolo Paulo, o maior propagador do evangelho de Jesus Cristo.
        Pelos meados do ano 67 correu a segunda fase do processo contra Paulo. Novamente comparece o "prisioneiro do Cristo" perante o tribunal de César para ouvir sua sentença de morte. Face a face Paulo e Nero: o melhor e o pior homem do século. A virtude em algemas e o vício sobre o trono... Paulo ouve a sentença fatal com serenidade, tão realista quanto o Mestre no Getsêmane. Sabe que a morte é o último inimigo a ser vencido. "Pai, se é possível, afaste de mim este cálice, sem que eu o beba. Contudo, não se faça a minha, mas, sim a Tua vontade."
        Numa daquelas manhãs, acompanhado por algozes imperiais, é conduzido um ancião de corpo franzino, cabelo cor de neve, vestes em andrajos...Solitários, vislumbram à direita o vale do rio Tibre, do lado oposto, a Via Appia, por onde, seis anos antes, chegara Paulo a Roma pela primeira vez. Param defronte onde hoje se ergue o alvo Convento Tre Fontane (Três Fontes). Foi aqui, neste imenso silêncio sepulcral, aberto para a vastidão do mar; foi aqui que, sem a presença de um amigo sequer, caiu a cabeça de Paulo de Tarso sob o golpe da gládio romano...Foi aqui que o indômito bandeirante do Evangelho plantou a última bandeira do seu Senhor e Mestre, ruborizada com o sangue do seu coração...
        Assim morrem os heróis...Cidadão romano, só lhe convinha morrer a fio de espada. Apóstolo de Cristo, só lhe convinha morrer mártir. Nenhuma outra espécie de morte teria sido tão digna de Paulo como esta...Sozinho...Sem uma lágrima de amigo...Sem um gemido de mulher ou filho...Sem um carinho de mãe ou irmã...Sem uma alma que lhe recebesse o último olhar...Sem um coração que acompanhasse as derradeiras pulsações do seu coração...
        Ele só...com Deus...

sábado, 3 de março de 2012

INGRATIDÃO

        Por mais de 30 anos o conselheiro de um sultão ou rei da antiga Pérsia era conhecido e admirado por sua lealdade, sinceridade e devoção ao seu senhor. Sua honestidade, entretanto, gerou inimigos na corte, que espalhavam calúnias a seu respeito. Eles falavam ao ouvido do sultão o dia inteiro, até que ele também começou a desconfiar do inocente conselheiro e acabou condenando à morte o homem que lhe servia tão bem. Naquele reino, quem fosse condenado à morte era amarrado e jogado no cercado onde o Sultão mantinha os seus cães de caça mais ferozes. Os animais estraçalhariam a vítima de imediato. Antes de ser jogado aos cães, o conselheiro fez um último pedido: precisaria de dez dias de trégua. Nesse tempo pagaria as dívidas, recolheria o dinheiro que lhe deviam e devolveria artigos que as pessoas lhe deram para guardar. Dividiria seus bens entre os membros da sua família e indicaria um guardião para os filhos. Depois de ter a garantia de que o conselheiro não iria tentar fugir, o sultão lhe concedeu o pedido.

        O conselheiro, então, correu para casa, juntou 100 moedas de ouro e foi visitar o caçador que cuidava dos cães do sultão. Ofereceu ao homem as 100 moedas de ouro e disse: “Deixe-me cuidar dos cães durante dez dias”. O caçador concordou e, durante os dez dias seguintes, o conselheiro cuidou das feras com atenção, tratando-as bem e alimentando-as bastante. No fim dos dez dias, estavam comendo na sua mão. No décimo primeiro dia, o conselheiro foi chamado à presença do sultão, as acusações se repetiram e o sultão assistiu enquanto o conselheiro era amarrado e jogado aos cães. Porém, quando as feras o viram, correram até ele e mordiscaram afetuosamente seus ombros e começaram a brincar com ele.

        O sultão ficou chocado e perguntou ao conselheiro por que os cães haviam poupado a sua vida. O conselheiro respondeu: “Cuidei desses cães durante dez dias e o senhor mesmo está vendo o resultado. Eu cuidei do senhor por mais de 30 anos e qual foi o resultado? Fui condenado à morte pela força de acusações levantadas por meus inimigos”. O sultão, envergonhado, perdoou o conselheiro e mandou prender os homens que o haviam difamado. Mas o nobre conselheiro os libertou e continuou a tratá-los com bondade.

sexta-feira, 2 de março de 2012

QUE REI SOU EU

        O Supremo Tribunal Federal inocentou o Deputado Federal Edmar Moreira - DEM-MG - ex-corregedor da Câmara dos Deputados em referência às acusações que lhe pesavam de desvio de recursos e enriquecimento ilícito pelo fato de ter edificado em São João Nepomuceno-MG, o castelo Monalisa com 7 mil metros quadrados de área construída, oito torres, 36 suítes, 18 salas, piscina com cascata, fontes, espelhos d'água e 275 janelas.
Ela alegava nas primeiras denúncias que não teria declarado o valor ao fisco porque o imóvel estaria em nome dos dois filhos que possui: um Deputado Estadual em Minas e outro Delegado em São Paulo.
O castelo está avaliado em 25 milhões de reais, o dobro do valor da nova mansão do bispo Edir Macedo em Campos do Jordão-SP, cujo montante todos sabemos provém em grande parte das doações de fiéis da IURD - Igreja Universal do Reino de Deus.
        No caso do Edmar Moreira, a investigação por lógica deveria ser do Fisco brasileiro e da Polícia Federal. Foi parar no Supremo, de onde saiu inocentado. Não se pode, a priori, julgar uma decisão da Justiça, mormente do STF. Todavia, uma decisão como esta nos deixa de "cabelos em pé" porque lá temos, aguardando julgamento, logicamente em situação um tanto diferente, o caso da Resolução 26, objeto da ADIN 4644.